domingo, 23 de abril de 2017

Afinal, foram muitas as pessoas de Sátão que interagiram com Aquilino Ribeiro...

Notícia DÃO E DEMO
Autarcas de Vila Nova de Paiva, Sernancelhe e Moimenta da Beira marcaram presença na Casa da Cultura de Sátão, em mais um colóquio Dão e Demo: O SÁTÃO NA GEOGRAFIA SENTIMENTAL DE AQUILINO

Com depoimentos dos presidentes das câmaras de Vila Nova de Paiva, Sernancelhe e Moimenta da Beira, respetivamente, José Morgado Ribeiro, Carlos Silva e José Eduardo Ferreira, encerrou-se, com chave de ouro, esta sexta-feira, dia 21 de abril, mais um colóquio Dão e Demo, desta feita centrado no escritor Aquilino Ribeiro, ele que imortalizou as terras do demo. Os três presidentes, a uma só voz, enalteceram a iniciativa, partilharam da universalidade do mestre e disponibilizaram-se para acrescentar “valor” a iniciativas em torno de Aquilino Ribeiro, da sua vida e obra, eles que são os administradores da Fundação que tem o nome do escritor, com sede em Soutosa.
Antes, na Casa da Cultura de Sátão, a voz foi dos nossos convidados, que deliciaram os presentes com aspetos da vida e da obra de Aquilino, mas também com pormenores das incursões do mestre em terras de Sátão, nomeadamente em Ferreira de Aves, ou ainda com iniciativas que no Sátão já haviam sido efetuadas, centradas no mestre.
Se a vida e a obra de Aquilino Ribeiro, circunstanciada, pormenorizada e ilustrada com fotografias raras, nos foi trazida por Paulo Neto, um comunicador que se empolga sempre com a temática aquiliniana, já a revisitação de iniciativas promovidas em Sátão, na Escola Secundária, foram detalhadas com aspetos sentimentais por Ana Albuquerque. Por seu lado, Alberto Correia fez uma leitura recheada de aspetos das obras de Aquilino, com particularidades do livro “Geografia Sentimental”, e Isabel Segorbe, que encerrou as comunicações, partilhou com os presentes alguns aspetos inéditos de fugas à pide em casa de seus familiares em Ferreira de Aves, onde Aquilino tanto vezes teve guarida e proteção, ela que o conheceu revelando inúmeros factos em que pessoas de Ferreira interagiram com o mestre e que o mestre retratou nas suas obras.
Do público, no final dos oradores convidados, vieram, de Vítor Figueiredo e de Carlos Paixão, algumas considerações que acrescentaram pormenores relevantes ao colóquio.
Oportunamente iremos apresentar, no canal Dão e Demo do youtube, para memória futura, os vídeos com as intervenções, que aconteceram na Casa da Cultura de Sátão, neste colóquio designado de “O Sátão na Geografia Sentimental de Aquilino”.

sábado, 22 de abril de 2017

Afinal, foram muitas as pessoas de Sátão que interagiram com Aquilino Ribeiro...

NOTÍCIA DÃO E DEMO
Autarcas de Vila Nova de Paiva, Sernancelhe e Moimenta da Beira marcaram presença na Casa da Cultura de Sátão. em mais um colóquio Dão e Demo: O SÁTÃO NA GEOGRAFIA SENTIMENTAL DE AQUILINO

Com depoimentos dos presidentes das câmaras de Vila Nova de Paiva, Sernancelhe e Moimenta da Beira, respetivamente, José Morgado Ribeiro, Carlos Silva e José Eduardo Ferreira encerrou-se, com chave de ouro, esta sexta-feira, dia 21 de abril, mais um colóquio Dão e Demo, desta feita centrado no escritor Aquilino Ribeiro, que imortalizou as terras do demo. Todos os eles, a uma só voz, enalteceram a iniciativa, partilharam da universalidade do mestre e se disponibilizaram para acrescentar “valor” a iniciativas em torno de Aquilino Ribeiro, eles que são os administradores da Fundação que tem o nome do escritor, com sede em Soutosa.
Antes, na Casa da Cultura de Sátão, a voz foi dos nossos convidados, que deliciaram os presentes com aspetos da vida e da obra de Aquilino, mas também com pormenores das incursões do mestre em terras de Sátão, nomeadamente em Ferreira de Aves, ou ainda com iniciativas que no Sátão já haviam sido efetuadas, centradas no mestre.
Se a vida e a obra de Aquilino Ribeiro, circunstanciada, pormenorizada e ilustrada com fotografias raras, nos foi trazida por Paulo Neto, um comunicador que se empolga sempre com a temática aquiliniana, já a revisitação de iniciativas promovidas em Sátão, na Escola Secundária, foram detalhadas com aspetos sentimentais por Ana Albuquerque. Por seu lado, Alberto Correia fez uma leitura, recheada de aspetos das obras de Aquilino, com particularidades do livro “Geografia Sentimental” e Isabel Segorbe, que encerrou as comunicações, partilhou com os presentes alguns aspetos inéditos, de fugas à pide, relacionados com Aquilino, ela que o conheceu e que tinha inúmeros familiares, que circunstanciou, no círculo de amigos do escritor, alguns deles retratados nas suas obras.
Do público, no final dos oradores convidados, vieram, de Vítor Figueiredo e de Carlos Paixão, algumas considerações que acrescentaram pormenores relevantes ao colóquio.
Oportunamente iremos apresentar, no canal Dão e Demo do youtube, para memória futura, os vídeos com as intervenções, que aconteceram na Casa da Cultura de Sátão, neste colóquio designado de “O Sátão na Geografia Sentimental de Aquilino”.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

O Sátão na Geografia Sentimental de Aquilino: em debate na Casa da Cultura | 21 de abril | 21 horas

Notícia Dão e Demo
Vai ter lugar esta sexta-feira, dia 21 de abril, na Casa da Cultura de Sátão mais um colóquio Dão e Demo desta feita em torno de Aquilino Ribeiro, escritor da nossa região nascido no Carregal, concelho de Sernancelhe, tendo vivido em Soutosa, concelho de Moimenta da Beira e que retratou, como ninguém, as gentes e as terras que designou do demo.
“O Sátão na Geografia Sentimental de Aquilino” visa assim trazer a debate aspetos da sua vida e da sua obra que tenham ligações ao Sátão.
Como oradores irão estar na Casa da Cultura de Sátão Alberto Correia, Ana Albuquerque, Isabel Segorbe e Paulo Neto, estando previsto no final das intervenções um espaço de debate em que será dada a oportunidade ao público para efetuar considerações ou colocar questões sobre o tema em debate.

domingo, 9 de abril de 2017

Foram reveladas esta sexta-feira as 49 aldeias finalistas das 7 Maravilhas de Portugal

Notícia DÃO E DEMO
Foram reveladas esta sexta-feira, dia 7 de abril, as aldeias candidatas às 7 maravilhas de Portugal – aldeias. Trata-se de 49 aldeias, dentre as 322 iniciais, ou seja, 7 aldeias que foram selecionadas por cada uma das 7 categorias a concurso e que irão ser tema de sete galas a serem transmitidas pela RTP a partir de 9 de julho.
Segundo o JN, todos os domingos serão apuradas duas aldeias finalistas em cada categoria e no dia 20 de agosto serão conhecidas as 14 finalistas que irão a votos. As maravilhas vencedoras serão anunciadas a 3 de setembro.
Da região Dão e Demo nenhuma das candidatas foi selecionada. Abel Estefânio, um dos principais dinamizadores deste evento na região, já assumiu na sua página do facebook que os objetivos foram cumpridos, pese embora a não seleção . Abel Estefânio relativamente à candidatura de Rãs, que dinamizou com Eduardo Lopes, disse que “cremos poder afirmar termos conseguido atingir os objetivos de divulgação do Santuário de Nosso Senhor dos Caminhos que nos propusemos realizar. Mas o trabalho não acaba aqui. O concurso nunca foi entendido como um fim em si mesmo, mas como um meio para transmitirmos um projeto de futuro para a nossa aldeia.”
De recordar que do concelho de Sátão tinham-se apresentado a concurso três aldeias: Forles, candidatada pela Câmara, Tojal, candidatada pela Junta e Rãs, candidatada por um conjunto de pessoas da aldeia. Igualmente se tinha candidatado a aldeia da Lapa, do concelho de Sernancelhe.
EIS A LISTA DAS 49 FINALISTAS
Aldeias rurais
Alegrete, Portalegre (Alentejo e Ribatejo)
Cachopo, Tavira (Algarve)
Casal de São Simão, Figueiró dos Vinhos (Centro)
Faial, Santana (Madeira)
Manhouce, São Pedro do Sul (Centro)
Paderne, Albufeira (Algarve)
Sistelo, Arcos de Valdevez (Norte)
Aldeias ribeirinhas
Aldeia da Luz, Mourão (Alentejo e Ribatejo)
Dornes, Ferreira do Zêzere (Centro)
Escaroupim, Salvaterra de Magos (Alentejo e Ribatejo)
Furnas, Povoação (Açores)
Santa Clara-a-Velha, Odemira (Alentejo e Ribatejo)
Sete Cidades, Ponta Delgada (Açores)
Vilarinho de Negrões, Montalegre (Norte)
Aldeias remotas
Aldeia da Pena, São Pedro do Sul (Centro)
Branda da Aveleira, Melgaço (Norte)
Castro Laboreiro, Melgaço (Norte)
Curral das Freiras, Câmara de Lobos (Madeira)
Fajã de São João, Calheta (Açores)
Gondramaz, Miranda do Corvo (Centro)
Piódão, Arganil (Centro)
Aldeias em áreas protegidas
Aldeia das Salinas da Fonte da Bica, Rio Maior (Alentejo e Ribatejo)
Bordeira, Aljezur (Algarve)
Chão da Ribeira, Porto Moniz (Madeira)
Lindoso, Ponte da Barca (Norte)
Penedo, Sintra (Lisboa e Vale do Tejo)
Rio de Onor, Bragança (Norte)
São Lourenço, Vila do Porto (Açores)
Aldeias monumento
Almeida (Centro)
Estoi, Faro (Algarve)
Evoramonte, Estremoz (Alentejo e Ribatejo)
Idanha-a-Velha, Idanha-a-Nova (Centro)
Monsanto, Idanha-a-Nova (Centro)
Monsaraz, Reguengos de Monsaraz (Alentejo e Ribatejo)
Sortelha (Centro)
Aldeias de mar
Azenhas do Mar, Sintra (Lisboa e Vale do Tejo)
Costa Nova, Ílhavo (Centro)
Fajã dos Cubres, Calheta (Açores)
Ferragudo, Lagoa (Algarve)
Porto Covo, Sines (Alentejo e Ribatejo)
Porto Moniz (Madeira)
Zambujeira do Mar, Odemira (Alentejo e Ribatejo)
Aldeias autênticas
Aldeia do Xisto de Cerdeira, Lousã (Centro)
Alte, Loulé (Algarve)
Biscoitos, Praia da Vitória (Açores)
Castelo Rodrigo, Figueira de Castelo Rodrigo (Centro)
Fontão de Loriga, Seia (Centro)
Montesinho, Bragança (Norte)
Podence, Macedo de Cavaleiros (Norte)

terça-feira, 28 de março de 2017

Aluna de Sátão foi premiada no concurso ‘Faça lá um Poema’

Notícia DÃO E DEMO
Aluna de Sátão, da Escola Ferreira Lapa, Irina Mendes, ficou em 2º lugar no concurso nacional “Faça lá um Poema”, na categoria do 2º ciclo.
O Plano Nacional de Leitura tem lançado, de há oito anos a esta parte, o desafio às escolas públicas e privadas de todo o país, para a participação de alunos, dos níveis de ensino Básico e Secundário, no Concurso “Faça lá um Poema”.
A edição deste ano contou com a colaboração da Fundação Centro Cultural de Belém (CCB) no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Poesia. Assim, as comemorações do Dia Mundial da Poesia foram adiadas de 21 para 25 de março, no passado sábado e nesse dia decorreu a entrega dos prémios aos alunos presentes e uma homenagem simbólica, orquestrada pelo grupo Fábrica das Artes, a Mário Cesariny,  poeta e pintor surrealista.
É de salientar que estiveram em apreciação 490 poemas, provenientes de cerca de 130 escolas de todo o país, para apuramento dos três vencedores de cada ciclo de ensino.
O nosso agrupamento tem participado, desde sempre, no concurso “Faça lá um Poema”, contudo  só este ano tivemos o grato prazer de ser contemplados com um honroso segundo lugar, ao nível do 2º ciclo, atribuído ao trabalho/poema da aluna Irina Mendes do 5º B, da Escola Básica Ferreira Lapa.
Foi com muito orgulho que os pais acompanharam a aluna até ao CCB, em Lisboa, onde decorreu a cerimónia de entrega dos prémios aos alunos do 1º , 2º  e 3º  ciclos do Ensino Básico e Ensino Secundário.
A nível de  escola, a equipa da Biblioteca, que divulga e dinamiza esta atividade, procedeu ao apuramento daquele que foi considerado o melhor poema de entre os que se apresentaram a concurso das turmas do 5º e 6º ano, uma vez que o regulamento só permite concorrer com um trabalho por ciclo.
A Irina está de parabéns, foi um dia bem recheado de emoções, que ela viveu com muita calma e serenidade, representando muito bem o nosso agrupamento, tanto na postura como na apresentação do seu poema.
No público esteviram presentes os familiares dos alunos premiados, professores,  alguns dos membros do júri, o Comissário do PNL, Fernando Pinto Amaral e os senhores Secretário de Estado da Educação, João Costa e Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.
Usando algumas das palavras aí referidas e que subscrevo como minhas, devemos congratular-nos com o facto de haver tantos jovens que lêem e que escrevem (tão bem, diria eu), mas a nossa aposta tem de ser, continuar sempre, e cada vez mais, a incentivar e orientar os nososs jovens nos caminhos da leitura e da escrita.
Rosa Quinteiro

segunda-feira, 20 de março de 2017

Marco Almeida com casa completamente cheia na apresentação da sua candidatura

Notícia DÃO E DEMO
O candidato do PS a presidente da União de Freguesias de Freguesias de Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta, não poderia ter aspirado a melhor arranque, pois o auditório do complexo paroquial de Mangualde foi pequeno para todos quantos quiseram ouvir o candidato.
Mas as primeiras palavras de elogio do candidato partiram precisamente do atual presidente da junta, Bernardino Azevedo, mandatário do candidato, que não deixou de dizer que “Marco Almeida é o melhor candidato, pelas suas qualidades pessoais, competência, experiência e capacidade de saber ouvir”, a quem pediu que soubesse dizer sim e dizer não, acrescentando que a junta ficaria em boas mãos.
João Azevedo, presidente da câmara municipal, de seguida, aproveitou para deixar um grande tributo a Bernardino Azevedo, pelo enorme trabalho de dedicação, proximidade e competência à sua terra, à sua freguesia, não deixando, igualmente, de dizer que finalmente a câmara de Mangualde, fruto de um grande trabalho de todos ter conseguido reduzir a dívida da autarquia e estar a viver agora um tempo novo que vai permitir alavancar novos investimentos. Não deixei igualmente de enaltecer as qualidades de trabalho e de competência do candidato Marco Almeida.
Maria Manuel Leitão Marques, ela que foi cabeça de lista do PS às legislativas, e atualmente desempenha as funções de ministra da presidência, com quem Marco Almeida trabalhou como adjunto no seu gabinete, foi outra voz que não poupou elogios ao candidato do PS, a quem augurou os maiores êxitos e desejou um excelente trabalho em defesa das populações da sua terra.
Já Marco Almeida, a encerrar depois dos agradecimentos aos presentes disse que a sua candidatura “é em primeiro lugar um ato de cidadania, uma missão de um vasto número de mangualdenses ao qual destinamos todo o nosso empenhamento, dinâmica e capacidades. Sempre apoiada na participação e colaboração de todos vós.”
E o candidato referiu de seguida que “este é um projeto que pretende iniciar um novo ciclo. Um novo ciclo que respeita e admira o anterior, dando continuidade ao que de bom foi feito, mas que não descurará a necessidade de inovar todos os dias, quer nas funções e serviços a prestar às populações, quer no relacionamento com os cidadãos”, deixando as quatro áreas de intervenção do projeto que são “i) criar estruturas de apoio à infância; ii) implementar estratégias para a fixação de jovens; iii) apoiar os idosos; iv) introduzir novas políticas de comunicação e aproximação”.
E a finalizar, Marco Almeida, referiu-se à família dizendo que não podia deixar de “agradecer todo o apoio que a minha família me tem dado ao longo de todo o meu percurso politico e profissional, em especial à minha mulher e ao meu filho. É também para eles que o meu esforço e dedicação à causa pública se destina.”

domingo, 19 de março de 2017

Eduardo Lopes e Abel Estefânio escrevem ao Turismo do Centro na defesa da candidatura de Rãs

Com data de 17 de março, Eduardo Lopes e Abel Estefânio, os dois principais rostos e obreiros da candidatura de Rãs às 7 Maravilhas de Portugal – aldeias, escreveram ao presidente do Turismo do Centro de Portugal, Pedro Machado, no sentido de o convidarem a”aceitar a tutela da candidatura e, nos termos da alínea b) do artigo 6.2.4 do respetivo Regulamento, que a partir da 2ª fase (se lá chegarmos, como esperamos) diligencie para que a candidatura seja adotada e assumida por uma entidade pública local”.
E em defesa da candidatura enunciam no respetivo mail alguns dos aspetos mais relevantes alusivas à candidatura de Rãs, referindo-se à festa de Nosso Senhor dos Caminhos e a um excerto de um texto do escritor Aquilino Ribeiro alusivo à mesma festa.
Igualmente anexaram fotografias e o texto da candidatura.
Eis o teor integral do mail:
«Exmo. Senhor Presidente do Turismo do Centro de Portugal,
Dr. Pedro Machado,
Na qualidade de promotores da candidatura da aldeia de Rãs, no concelho de Sátão, ao concurso 7 Maravilhas de Portugal – Aldeias, na categoria aldeia rural, cuja inscrição foi por nós efetuada em representação do povo da aldeia que a patrocinou, vimos solicitar que V/ Exa. se digne aceitar a tutela da candidatura e, nos termos da alínea b) do artigo 6.2.4 do respetivo Regulamento, que a partir da 2ª fase (se lá chegarmos, como esperamos) diligencie para que a candidatura seja adotada e assumida por uma entidade pública local.
Com a festa em honra de Nosso Senhor dos Caminhos, a Rãs é a aldeia que mais gente trás ao nosso concelho e cremos que será a mais importante romaria de aldeia de todo o território da CIM Viseu Dão-Lafões.  O Mestre escritor Aquilino Ribeiro considerava-a uma das três Mecas da Beira: «As romarias da Lapa, dos Remédios, do Senhor dos Caminhos eram esperadas como o Ramadão da liberdade» (in Aldeia, Terra, Gente e Bichos).
Juntamos as fotografias e o texto da candidatura para a divulgação que considerar adequada. Ficaríamos também muito felizes se pudesse colocar a nossa aldeia no novo site do Turismo Centro de Portugal, que está muito apelativo mas que ainda não tem nada sobre o nosso concelho. Ao dispor.
Com os nossos melhores cumprimentos
Eduardo Lopes | Abel Estefânio»